Qual é a redistribuição de riqueza?

A redistribuição da riqueza é a transferência ordenada de ativos de um grupo de entidades para uma gama mais ampla de entidades, geralmente utilizando algum tipo de mecanismo implementado por um governo. Às vezes conhecida como redistribuição progressiva, a idéia é alocar os recursos disponíveis de uma maneira que uma ampla gama de pessoas receba algum grau de benefício desses ativos. Isso geralmente é gerenciado através da promulgação de leis como impostos ou políticas monetárias que controlam o movimento do comércio e das finanças dentro de uma determinada nação.

O conceito de redistribuição de riqueza é um tanto controverso. Uma abordagem sustenta que a acumulação de ativos deve basear-se nos esforços do indivíduo, com aqueles que trabalham mais recebendo uma parcela maior da riqueza disponível. Um ponto de vista diferente é que todos os indivíduos têm direito a um padrão de vida eqüitativo e, embora sejam incentivados os esforços para obter o que podem, a redistribuição de riqueza por aqueles que têm mais sorte permite que aqueles que não são capazes de gerar renda suficiente para alcançar esse padrão eqüitativo para receber algum tipo de assistência. A idéia é que, quando a pobreza é reduzida ao mínimo, a economia nacional é mais estável e todos se beneficiam dessa economia mais forte.

Embora os métodos de gerenciamento dessa redistribuição de riqueza variem, há três estratégias básicas que são freqüentemente empregadas pelos governos nacionais. A abordagem mais comum é através da tributação. Na melhor das hipóteses, os ricos são tributados em níveis diferentes daqueles com menor renda anual. O resultado final é que as famílias de classe média e baixa retêm mais de seus ganhos para a manutenção de suas famílias, e o dinheiro dos impostos recebidos dos ricos pode ser usado para ajudar a financiar programas que ajudam os menos afortunados a aumentar seus meios limitados de gerenciar tais famílias. tarefas importantes como o financiamento do ensino superior com a ajuda de subsídios do governo ou programas de bolsas de estudo.

Programas de bem-estar são outro meio comum de conseguir uma redistribuição de riqueza. Aqui, o foco está na alocação de fundos que fornecem às famílias fundos que possibilitam desfrutar de comodidades básicas essenciais para uma qualidade de vida básica. Em alguns casos, esse tipo de programa é focado principalmente em aposentados e cidadãos com deficiência, embora muitos países também incluam programas de assistência social que auxiliam as pessoas que trabalham em empregos mal remunerados que geram uma certa quantia de renda a cada mês.

Uma terceira ferramenta que é frequentemente usada no processo de redistribuição de riqueza é a nacionalização. Esse é um conceito amplo que pode incluir estratégias como oferecer algum tipo de assistência médica financiada pelo governo aos cidadãos qualificados para o programa. Como nos outros métodos, o objetivo é garantir que todos em um determinado país tenham acesso a benefícios considerados essenciais para um padrão de vida decente, mesmo que atualmente não possam financiar esses benefícios.

Ao longo dos anos, as vantagens e responsabilidades de uma redistribuição de riqueza foram calorosamente debatidas. Às vezes, isso levou a algumas reformas que ajudaram a restringir as restrições ao processo de redistribuição, tornando mais difícil para indivíduos sem escrúpulos tirar vantagem do sistema. Com a maioria das nações continuando a refinar como empregam essa idéia em suas culturas e contextos específicos, é provável que a controvérsia sobre a redistribuição da riqueza continue por muitos anos.

OUTRAS LÍNGUAS

Este artigo ajudou você? Obrigado pelo feedback Obrigado pelo feedback

Como podemos ajudar? Como podemos ajudar?