O que um técnico de museu faz?

Técnicos do museu, juntamente com arquivistas e curadores, são responsáveis ​​pela colocação, atendimento e exibição de artefatos ou documentos mantidos por um museu. Ela pode executar uma ampla gama de tarefas, incluindo trabalho manual, análise orientada a detalhes, alcance educacional e captação de recursos. Geralmente diferenciados dos curadores ou arquivistas por sua experiência mais técnica, os técnicos do museu tendem a trabalhar principalmente fora da esfera pública, concentrando-se em trabalhar com os artefatos do museu.

Dependendo do nível de técnico do museu, as tarefas que ela realiza podem ser de uma variedade mais simples e servil, ou podem ser bastante detalhadas e complexas. Geralmente, ela atua como a equipe de suporte do museu, auxiliando os curadores em suas tarefas e ajudando a garantir que o museu funcione sem problemas. Um técnico de museu é uma parte importante da operação de um museu e, dada a natureza altamente especializada da função, bem como os protocolos especializados em vigor na maioria dos museus, pode ser um trabalho bastante desgastante.

No nível básico, um técnico de museu ajuda nas tarefas mais simples que precisam ser realizadas em torno de um museu. Por exemplo, um técnico de museu pode estar envolvido em tarefas de zeladoria e custódia em torno de artefatos ou displays frágeis. Como a maioria das exposições é delicada, elas geralmente não podem ser limpas da maneira que um tapete ou prédio de escritórios poderia ser. Em vez disso, esse tipo de limpeza requer muito cuidado e atenção, além de um bom entendimento dos próprios artefatos.

Técnicos mais avançados podem atuar como equipe de suporte direto para técnicos seniores ou curadores. Nesse contexto, ela pode ser solicitada a recuperar ou armazenar amostras, ajudar a catalogar registros e artefatos, limpar amostras ou armazená-las cuidadosamente, ou prepará-las para uso por um técnico ou curador mais avançado. Ela também pode trabalhar em uma função de secretariado ou educacional, preparando documentos para distribuição pública, escrevendo correspondências e atuando como guia nas exposições do museu.

Um técnico de museu intermediário também pode optar por se especializar em uma área de pesquisa muito focada na qual trabalhar. Nesse caso, ela provavelmente permanecerá nessa especialidade ao longo de sua carreira, pois as habilidades adquiridas tendem a ser incrivelmente particulares. Ela pode, por exemplo, aprender a restaurar um tipo específico de artefato, como tigelas de cerâmica, e seu trabalho a partir de então pode se concentrar em todas as tigelas de cerâmica da coleção do museu. A escolha de um foco como esse geralmente é o caminho para se tornar um técnico avançado de museu, uma vez que a habilidade seja adquirida.

Técnicos avançados trabalham para ajudar a inovar em seu campo específico de especialização. Um especialista em tigela de cerâmica, por exemplo, não pode mais simplesmente restaurar tigelas de tipos conhecidos usando técnicas pré-existentes; agora ela pode trabalhar no desenvolvimento de novas técnicas para restaurar melhor as tigelas ou aplicar técnicas mais antigas a um novo tipo de tigela. Esse nível de técnico em museus é responsável por grande parte do crescimento que ocorre no campo da restauração e armazenamento, e pode ser uma profissão lucrativa para quem tem vontade de chegar até aqui.

OUTRAS LÍNGUAS

Este artigo ajudou você? Obrigado pelo feedback Obrigado pelo feedback

Como podemos ajudar? Como podemos ajudar?