Qual é a diferença entre depreciação e amortização?

Os termos depreciação e amortização têm vários significados em finanças e investimentos. Por exemplo, a depreciação pode se referir à desvalorização de uma moeda e a amortização pode ser usada para descrever a estrutura de pagamento em um tipo comum de empréstimo. As palavras são apenas diretamente comparáveis, no entanto, quando usadas na contabilidade de competência. Nesse campo, ambos descrevem um método de alocação da despesa inicial de um ativo ao longo de sua vida útil, para que em cada período as receitas do ativo possam ser equiparadas a uma parte de sua despesa. Eles diferem nos tipos de ativos aos quais se aplicam.

A depreciação é aplicada aos ativos tangíveis, enquanto a amortização refere-se exclusivamente aos ativos intangíveis. Ambos envolvem uma estimativa da vida útil do ativo ou o período durante o qual ele gerará lucro. A vida útil de um ativo físico que deve ser depreciada é o tempo após o qual o ativo deve ser substituído; alocar a despesa sem problemas durante esse período exige que os auditores prevejam o período em que um ativo deixará de ser valioso. A amortização é um pouco mais direta, pois a vida útil de um ativo intangível termina na data de vencimento. Por exemplo, as patentes geralmente duram 17 anos; portanto, o preço da obtenção da patente pode ser distribuído igualmente durante esse período.

Os contadores usam depreciação e amortização para distribuir o custo de um ativo. A proporção do valor do ativo que é depreciado ou amortizado em um determinado ano é igual à proporção do lucro da vida útil do ativo que se espera que seja realizado durante esse ano. Uma razão para essa prática é que os contadores podem amortizar parte da despesa nos impostos de cada ano. Outro motivo é que a depreciação e amortização podem evitar assustar os investidores com altas despesas iniciais.

Se uma empresa não puder depreciar seus investimentos, suas demonstrações contábeis poderão mostrar uma queda acentuada nos lucros sempre que substituir máquinas caras. Isso poderia desencorajar o investimento. A lucratividade geral da empresa, no entanto, seria constante porque a máquina gera lucro suficiente para justificar a despesa inicial; portanto, depreciar o custo da máquina seria mais indicativo do potencial da empresa para um investidor.

As demonstrações contábeis de uma empresa não refletem com precisão quanto dinheiro a empresa possui por causa de práticas de depreciação e amortização. Uma grande compra em um ano pode deixar a empresa incapaz de cumprir suas obrigações, embora suas demonstrações contábeis mostrem que ela deve ter fundos suficientes. As demonstrações do fluxo de caixa refletem a realidade das participações da empresa.

Depreciação e amortização aplicam-se apenas a ativos cujos valores deverão diminuir. Se uma empresa decora sua sede com uma pintura que se espera valorizar, ela não pode dividir o custo em suas folhas contábeis, porque a pintura não será depreciada com o tempo. A terra não pode ser depreciada porque tem uma vida útil infinita. Da mesma forma, marcas comerciais indefinidas podem não ser amortizadas porque podem se tornar mais valiosas. Os termos também não são aplicáveis ​​aos recursos naturais: eles são usados ​​em um processo conhecido como esgotamento.

OUTRAS LÍNGUAS

Este artigo ajudou você? Obrigado pelo feedback Obrigado pelo feedback

Como podemos ajudar? Como podemos ajudar?