O que é teratospermia?

Teratospermia é a presença de um grande número de espermatozóides com aparência anormal no sêmen de um homem. Quando mais de 40% dos espermatozóides apresentam malformações, isso pode interferir na fertilidade e o homem pode ter problemas para engravidar seu parceiro. Existem várias opções de tratamento, dependendo da causa subjacente. Um especialista em fertilidade pode se reunir com os pacientes para discutir a melhor abordagem para o tratamento, dada a situação e os objetivos finais.

Um médico pode diagnosticar essa condição examinando uma amostra ao microscópio. O esperma mal formado será facilmente visível e o médico poderá determinar suas concentrações. Quando apenas um punhado de espermatozóides tem uma aparência incomum, isso pode não representar um sério obstáculo à fertilidade. O médico também pode realizar alguns outros testes para avaliar a qualidade do sêmen, como avaliar a motilidade espermática para verificar se o esperma pode alcançar com sucesso um óvulo. A paciente pode ter uma combinação de problemas, não apenas teratospermia, que dificultam a gravidez.

Às vezes, a causa da teratospermia é uma doença subjacente, como a doença celíaca. Desequilíbrios metabólicos e hormonais são culpados comuns, pois podem interferir no processo de maturação espermática e podem criar anormalidades como cabeças grandes ou pequenas incomuns ou caudas malformadas. O médico pode recomendar alguns testes para aprender mais sobre a situação, além de revisar o prontuário do paciente para detectar quaisquer sinais em seu histórico médico que possam fornecer pistas. Em outros casos, pode ser difícil determinar por que os espermatozóides estão malformados.

Medicamentos podem ajudar com teratospermia. Os antiestrogênios são uma linha de tratamento que um médico pode considerar para ver se é possível incentivar o esperma a seguir um curso normal de maturação. Em outros casos, o médico pode recomendar o uso de reprodução assistida. Pode ser possível coletar uma amostra de esperma, selecionar esperma viável e implantá-la manualmente no óvulo. O ovo deve fertilizar e se desenvolver normalmente.

Pacientes com essa condição podem discutir isso com um médico e seus parceiros para decidir como desejam prosseguir. Normalmente, a teratospermia não está associada a anormalidades genéticas. O problema reside apenas na forma do esperma, não no DNA que eles contêm. O médico pode realizar alguns testes para determinar se existem preocupações separadas sobre condições congênitas, como diagnóstico genético pré-implantação, onde embriões fertilizados são avaliados para doenças genéticas comuns. Esse teste pode permitir que o médico evite implantar um embrião que não sobreviverá a uma gravidez completa.

OUTRAS LÍNGUAS

Este artigo ajudou você? Obrigado pelo feedback Obrigado pelo feedback

Como podemos ajudar? Como podemos ajudar?