Qual é a conexão entre amamentação e icterícia?

Amamentação e icterícia estão conectadas de uma maneira única. A icterícia comum, que ocorre em mais de 60% de todos os recém-nascidos, é o resultado do excesso de bilirrubina no corpo, o que resulta na pele e nos olhos ficando amarelados. Além deste tipo comum de icterícia, há também icterícia de leite materno e icterícia de amamentação. Embora essas condições sejam raras e normalmente não exijam outro tratamento além do aumento da enfermagem, é importante monitorar esses problemas de amamentação e icterícia para manter a saúde do recém-nascido.

A icterícia do leite materno não tem causa conhecida, embora se acredite que isso ocorra em famílias. A teoria mais comum sobre essa conexão entre amamentação e icterícia é que algo no leite materno inibe a quebra da bilirrubina no bebê. Isso não significa que algo esteja errado com o leite da mãe ou que a amamentação precisa ser interrompida. A icterícia do leite materno ocorre em pouco mais de 2% de todos os recém-nascidos e geralmente se resolve quando os recém-nascidos completam 12 semanas de idade.

Esse problema do leite materno e da icterícia é tratado pelo monitoramento regular dos níveis de bilirrubina e aumento do número de lactentes. É necessário um mínimo de oito sessões de enfermagem por dia; dependendo do estilo de enfermagem do bebê, esse número pode ser muito maior. Enquanto os níveis de bilirrubina permanecerem abaixo de 20 mg, normalmente não é necessário outro tratamento. Se os níveis ultrapassarem esse intervalo, o bebê pode precisar receber tratamentos de fototerapia até que a bilirrubina atinja um nível aceitável.

Amamentação e icterícia também são conectadas por uma condição conhecida como icterícia para amamentação. Isso ocorre quando o bebê não está recebendo leite suficiente para liberar a bilirrubina do seu sistema. Pode ser causada por uma trava inadequada, o que dificulta a capacidade do bebê de drenar completamente a mama, a programação rígida das mamadas e, em casos raros, a falta de suprimento de leite.

A icterícia para amamentar é normalmente tratada com a ajuda de um consultor ou especialista em lactação. O consultor pode ajudar a mãe a determinar se o bebê está travando corretamente, recebendo leite e alimentação suficientes. Normalmente, oferecer o peito sempre que o bebê parece querer algo, mesmo que tenha acabado de amamentar há pouco tempo, é suficiente para aumentar a ingestão de leite.

Como na icterícia do leite materno, a icterícia do aleitamento materno pode precisar ser tratada com fototerapia se os níveis de bilirrubina estiverem altos. Ocasionalmente, a mãe pode precisar bombear e alimentar o bebê de uma mamadeira ou oferecer fórmula por um a dois dias para liberar o excesso de bilirrubina do corpo. Muito raramente uma mãe precisa parar completamente de amamentar; bombear ao mesmo tempo em que o bebê come da mamadeira pode ajudar a mãe a manter o suprimento.

O estresse da amamentação e icterícia pode ser avassalador para mãe e bebê. No entanto, o leite materno é quase sempre o melhor tratamento para icterícia e pode ajudar o bebê a permanecer o mais saudável possível. Trabalhar em estreita colaboração com o pediatra da criança e um consultor experiente em lactação pode ajudar a resolver esses problemas de amamentação e icterícia.

OUTRAS LÍNGUAS

Este artigo ajudou você? Obrigado pelo feedback Obrigado pelo feedback

Como podemos ajudar? Como podemos ajudar?